Como escolher o cabo de rede - NetSeg

Como escolher o cabo de rede

Educacional | 2020-02-29

Você sabe tudo sobre cabo de rede? Cabos de rede transmitem sinais elétricos em grandes distâncias e são classificados conforme a frequência máxima que suportam, com base em normas técnicas e características específicas, como a qualidade do material utilizado.

Essas normas devem ser seguidas pelos fabricantes, e a confecção de cabos de rede é bem mais complicada que a dos cabos de cobre comuns, uma vez que esse tipo de material precisa ser eficiente em altas frequências, sem atenuação do sinal ou interferências eletromagnéticas.

Nesse processo de fabricação, é preciso atentar-se para o aparecimento de impurezas, bolhas e no entrelaçamento dos pares de cabos, fator crítico para um resultado satisfatório. Mas como escolher um cabo de rede para trafegar dados baseados no protocolo IP? Os cabos de rede disponíveis no mercado são compatíveis com a demanda dos produtos inovadores lançados atualmente?

Confira, neste artigo, tudo sobre cabo de rede: os tipos de cabo disponíveis, suas devidas aplicações e as características que devem ser consideradas antes de adquirir os produtos para evitar a instalação de itens de qualidade duvidosa.

Como escolher uma categoria de cabo de rede?

Existem, no mercado, vários padrões de cabo de rede, que mudam conforme a frequência – ou seja, a taxa de transferência de dados suportada pelo material – e a capacidade de manter a efetividade de transmissão na ocorrência de intercorrências. Apesar disso, pouco se fala sobre a melhor aplicação de cada categoria e suas respectivas blindagens, como abordaremos a seguir.

Enquanto os cabos das categorias 1, 2 e 4 não são indicados pela TIA (Telecommunications Industry Association) e, por isso, não são mais fabricados, os de modelo 3 ainda são aplicados em infraestruturas telefônicas — foram os primeiros cabos de par trançado desenvolvidos e são formados por, pelo menos, 24 tranças por metro (o número de tranças altera para atenuar interferências entre os pares de cabos).

Para descobrir a categoria de um cabo, basta conferir a informação decalcada na sua parte externa. Neste post, explicamos, de forma geral, algumas das classificações mais usadas nos projetos: Cat5, Cat5e e Cat6. Confira, a seguir.

Cabo de rede Cat5

Esse é o padrão mais antigo de cabos de rede, muito utilizado em redes domésticas. Sua velocidade de transferência de dados abrange 10Mbps a 100Mbps, mas, atualmente, o uso desse tipo de cabo vem sendo substituído pelo padrão Cat5e, que suporta velocidades maiores demandadas pela evolução dos equipamentos.

Cabo de rede Cat5e

Essa é a versão melhorada do modelo Cat5. O cabo Cat5e foi desenvolvido para suportar velocidades de até 1.000 Mbps, reduzir a interferência da infraestrutura e minimizar a perda de sinal.

Essas melhorias possibilitaram o uso de cabos mais longos, quase próximos dos atuais 100 metros permitidos. Por isso, é indicado para instalações domésticas e corporativas.

Cabo de rede Cat6

Nessa versão, o nível de interferência é baixo, e, em alguns casos, o padrão pode suportar velocidades de até 10 Gigabits e frequências de até 250 MHz.

Redes domésticas dificilmente usarão todo o potencial desse modelo de cabo, de forma que a melhor aplicação aconteça em locais onde a distância total de cobertura do cabeamento seja superior a 10 metros até 55 metros.

O esquema de montagem para cabo de rede blindado FTP CAT5 no padrão 568B é ideal para usos em equipamentos de áudio e vídeo que convertem o sinal para cabo CAT5.

A categoria 6a (augmented – na tradução, ampliado) foi criada para possibilitar o uso de cabos de rede em até 100 metros em redes 10G, pois suportam frequências de até 500 MHz e integram medidas que minimizam a perda de sinal e a ocorrência de interferências entre os pares, chamada de crosstalk.

Uma dessas medidas foi distanciar os pares por meio da utilização de um separador, o que aumentou a espessura dos cabos em 2.3 mm (de 5.6 mm para 7.9 mm), o que reduziu sua flexibilidade.

No que consiste a blindagem do cabo de rede?

Outro aspecto importante na hora de escolher o cabo de rede é a blindagem efetivada no material. Isso, porque é preciso avaliar previamente o ambiente, a fim de identificar possíveis fontes de interferência na transmissão de sinais. Com isso, eles se tornam ideais em aplicações próximas a antenas de transmissão e redes elétricas.

Cabos sem blindagem geralmente são mais flexíveis e fáceis de crimpar. Por esse motivo, são mais em conta e populares no mercado. Também existem vários modelos de cabo de rede blindado, classificados quanto ao tipo de blindagem, conforme descrevemos a seguir.

UTP (Unshielded Twisted Pair) — cabos sem blindagem

Antes, não existia um padrão para trançar os cabos, principalmente porque a demanda de transmissão era apenas de sinais de voz, fato que mudou com a padronização técnica de confecção de cabos de rede.

Atualmente, é preciso atender a redes de até 10000 megabits e, para potencializar a transmissão e inibir interferências, é utilizado o sistema balanced pair: em cada par, é enviado o mesmo sinal, porém com a polaridade invertida.

FTP (Foiled Twisted Pair)

São cabos os que utilizam uma blindagem mais simples: de fina folha de aço ou de liga de alumínio, elementos que envolvem todos os pares do cabo, protegendo-os contra interferências externas.

STP (Shielded Twisted Pair)

Nesse modelo, os cabos utilizam uma blindagem individual para cada par de cabos. Isso reduz o crosstalk e melhora a tolerância do cabo com relação à distância, o que pode ser usado em situações em que for necessário crimpar cabos fora do padrão, com mais de 100 metros.

SFTP (Screened Foiled Twisted Pair)

Os cabos desse tipo combinam a blindagem individual para cada par de cabos com uma segunda blindagem externa, que envolve todas as tranças, o que os torna especialmente resistentes a interferências externas. Por isso, cabos SFTP são mais adequados a ambientes com grande incidência de distorção.

A utilização de cabos blindados deve ser aliada a conectores RJ-45 blindados, que protegem a parte destrançada do cabo dentro do conector.

Como escolher o cabo de rede de qualidade?

A escolha não deve ser embasada pela superioridade do modelo. Cabos de padrões mais avançados, além de serem mais caros e difíceis de ser encontrados, quando não são adequados ao fim para o qual se destinam, não podem ser aproveitados nos padrões de rede seguintes — o que ocorreu, por exemplo, com os cabos Cat6 em redes de 10 gigabits que, por terem sua distância máxima reduzida para 55 metros, foram substituídos pelo padrão 6a.

Como qualquer tipo de produto, existem cabos de rede de boa qualidade, que atendem aos padrões especificados para o mercado, e os cabos com performance comprometida, pois têm seus componentes alterados pelo fabricante com o objetivo de reduzir seus custos.

Infelizmente, sem medidores específicos, é difícil identificar um cabo de má qualidade. Nesse caso, é indicado usar apenas marcas confiáveis, produzidas por empresas com um bom histórico de fornecimento e reconhecimento em sua linha de produtos.

Você conhece o Grupo Discabos?

A marca Discabos, que produz cabos para áudio, vídeo e automação para uso profissional há mais de 20 anos, identificou a necessidade de produzir cabos de rede de alta qualidade para suportar aplicações de câmeras de segurança, áudio e vídeo, que necessitam de uma performance superior.

Por isso, tem uma linha de cabos de rede de marca própria, que conta com cabos de rede nas categorias Cat5e e Cat6 UTP e Cat5e SFTP.

Todos os cabos são compostos por condutores de cobre puro recozido de 0,55mm (24 AWG) de diâmetro nominal, isolados com polietileno sólido. No núcleo, uma capa de PVC, que retarda a propagação de chamas em caso de incêndios, é aplicada por meio do processo de extrusão para garantir a segurança necessária em qualquer projeto.

Agora que você sabe tudo sobre cabo de rede, que tal entrar em contato com a Discabos e conhecer nossos produtos?

https://discabos.com.br/blog/artigos/como-escolher-o-cabo-de-rede